Dúvidas frequentes sobre tradução de documentos para intercâmbio.

Quais são os tipos de tradução?
A tradução pode ser livre (feita pela própria pessoa interessada) ou juramentada.

O que é uma tradução juramentada?

É a tradução de documentos feita por um Tradutor Público e Intérprete Comercial (TPIC) que tenha sido aprovado em concurso público e esteja matriculado na Junta Comercial do seu estado de residência. Esses profissionais têm fé pública e atestam a autenticidade do documento traduzido para que tenha efeito fora do Brasil.


É sempre necessário que os documentos sejam traduzidos por um tradutor juramentado?
Como realizar uma tradução juramentada?

Caso esteja previsto no site que a instituição parceira exige a tradução juramentada dos documentos do candidato, é necessário buscar um tradutor juramentado na Junta Comercial do Rio de Janeiro (JUCERJA - https://www.jucerja.rj.gov.br/Servicos/Tradutores) com base no idioma para o qual se deseja traduzir. Se a instituição parceira permitir a tradução livre dos documentos, o próprio estudante interessado pode realizar a tradução.

Em caso de tradução livre, como devo traduzir documentos oficiais da UFRJ para uma língua estrangeira? Posso utilizar marcas da UFRJ? Devo diagramar o documento traduzido exatamente como o original?

Se a instituição parceira permitir que os próprios estudantes traduzam os documentos, é imprescindível que haja um aviso legal assinado pelos mesmos no fim do documento que explicite que a UFRJ não emite documentos em língua estrangeira e que a tradução é de inteira responsabilidade dos estudantes. Esse aviso legal pode ter a seguinte redação:


“DISCLAIMER: This is a translation of the original in Portuguese for information purposes only, and is not a substitute for the official document. The Federal University of Rio de Janeiro does not issue documents in any foreign language, and the student is solely responsible for the translation hereof. In case of any discrepancy, the Portuguese version shall prevail."

É Importante ressaltar que DE NENHUMA FORMA pode-se usar a marca da UFRJ (Minerva,cabeçalho, etc.). A tradução deve ser feita em uma folha de papel ofício e deve estar sempre acompanhada da versão original.

A SGRI/UFRJ realiza a tradução de documentos para estudantes?

A Seção de Tradução da SGRI não realiza a tradução de documentos oficiais da instituição para fins pessoais dos estudantes. Suas atribuições envolvem apenas as demandas internas da SGRI e do Gabinete da Reitora.


Devo copiar as assinaturas dos documentos originais?

NUNCA se deve copiar assinaturas de documentos. Caso os estudantes desejem explicitar na tradução que há uma assinatura no documento original, uma opção é substituir essa assinatura por [illegiblesignature] em inglês e [consta assinatura] em português, entre colchetes e em itálico.

 

A SGRI aplica exames de proficiência de línguas estrangeiras?

Não. A SGRI é um setor administrativo da UFRJ. Logo, não possui competência para realizar esta tarefa.

O interessado deverá procurar a instituição responsável pela aplicação desses exames tendo em vista o país de destino e o conhecimento linguístico que lhe é demandado. Seguem alguns exemplos:

IELTS e TOEFL, que atestam o domínio da língua inglesa;

OnDaf, que atesta o domínio da língua alemã;

DELFDALF e TCF, que atestam o domínio da língua francesa;

DELE, que atesta o domínio da língua espanhola.

 

Como eu consigo assinatura do Reitor para progamas estrangeiros?

Para programas de bolsas cuja gestão não são feitas pela DRI, exemplos o ELAP, o interessado deverá solicitar, através da secretaria acadêmica de sua unidade, o encaminhamento do pedido (com o documento original) diretamente ao Gabinete do Reitor. A SGRI não tem qualquer ingerência sobre este procedimento.

 

Como um estudante estrangeiro pode estudar na UFRJ?

Os estudantes estrangeiros podem estudar na UFRJ em um período de intercâmbio ou para obter um título acadêmico.

Para fazer intercâmbio na UFRJ, o(a) estrangeiro(a) precisa estudar em uma da universidades parceiras da UFRJ. Em caso positivo, ele(a) poderá se candidatar ao Programa de Mobilidade Regular da UFRJ.

Lembre-se: apenas a mobilidade acadêmica do tipo intercâmbio "sanduíche" é atribuição da DRI.

O(a) estrangeiro(a) que desejar obter um título de graduação na UFRJ deverá realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e seguir o disposto no website http://acessograduacao.ufrj.br. Já o(a) estrangeiro(a) que desejar ingressar em um curso de pós-graduação para obter título deverá realizar o processo seletivo referente à sua área de interesse. Para mais detalhes sobre os cursos de pós-graduação oferecidos pela UFRJ, acesse http://app.pr2.ufrj.br/pr2/cursos.

 

A SGRI cuida de transferência externa para universidades estrangeiras?

Não. Apenas a mobilidade acadêmica do tipo intercâmbio "sanduíche" é atribuição da SGRI. Os estudantes da UFRJ que desejam estudar em universidades estrangeiras precisam atender aos requisitos da universidade de destino, sem qualquer ingerência da SGRI.

 

A SGRI participa de reuniões com delegações estrangeiras que tenham sido organizadas por unidades acadêmica da UFRJ?

Sim.  Um membro da SGRI poderá representar o Setor nessas ocasiões uma vez que  a unidade acadêmica o solicite, desde que haja disponibilidade de algum de seus membros.

 

A SGRI ajuda a comunidade acadêmica a resolver problemas com "visto" e/ou "afastamento do país"?

Não. A SGRI não oferece este tipo de serviço.

Informações sobre "visto" devem ser verificadas junto aos Consulados. Clique aqui para acessar listagem dos consulados estrangeiros no Brasil.

Informações sobre "afastamento do país" podem ser obtidas  junto à Pró-Reitoria de Pessoal ou, especificamente, no website a seguir: http://goo.gl/zydAXR .

 

OA SGRI realiza atendimento presencial aos membros da comunidade acadêmica?

Sim. A SGRI está aberto para receber alunos, docentes e técnicos da UFRJ. Basta que o atendimento seja agendado através dos endereços eletrônicos disponibilizados no nosso website e que respeitem o horário de atendimento ao público.

 

A SGRI autentica cópia de documentos de alunos intercambistas?

Sim. Desde que o aluno tenha sido contemplado pelo programa de mobilidade regular da SGRI.

 

A SGRI faz a revalidação de diplomas estrangeiros?

Não. Os portadores de um diploma emitido por uma instituição de ensino superior estrangeira devem procurar a decania do centro referente à área de conhecimento do título a ser revalidado. Para maiores informações, clique aqui (procure aba serviços).

 

A SGRI autentica diplomas ou verifica a formação acadêmica de ex-alunos da UFRJ?

Não. Não compete a SGRI atender aos pedidos de autenticidade de diploma ou verificação de formação acadêmica de ex-alunos da UFRJ. Tais pedidos deverão ser submetidos à Divisão de Diplomas da Pró-Reitoria de Graduação da UFRJ e apenas serão aceitos aqueles enviados por fax ou por correio.

A instituição requerente deverá encaminhar à Divisão de Diplomas ofício devidamente identificado e assinado por autoridade competente, além da cópia frente e verso do diploma a ser examinado. No ofício, deverá constar, também, o número do fax e endereço completo, inclusive com o CEP da instituição requerente.

 

Divisão de Diplomas:

Av. Pedro Calmon, 500 - Cidade Universitária, Rio de Janeiro / RJ – Brasil

Prédio da Reitoria 8º andar - sala 806 - Divisão de Diplomas

CEP.: 21941-901 -

Telefones: (21) 2598-1714 - telefax; (21) 2598-1725; (21) 2598-1726

 

Estudante de graduação ou de pós-graduação de uma instituição estrangeira pode realizar intercâmbio na UFRJ?

Sim.  Desde que a instituição estrangeira tenha um acordo de parceria com a UFRJ.

 

Como posso celebrar um novo Acordo internacional?

Os Acordos acadêmicos internacionais devem ser aprovados por várias instâncias da UFRJ antes de serem assinados. É recomendável que você acesse a página da web Como Celebrar Acordos para ver uma descrição detalhada dos procedimentos que devem ser adotados para tanto.

 

Quanto tempo leva para assinar um Acordo internacional?

A assinatura de um Acordo acadêmico internacional leva, em média, de 02 (dois) a 06 (seis) meses entre a abertura do processo pela unidade acadêmica proponente do Acordo e a sua entrada em vigor.

 

Vou receber uma delegação internacional na minha unidade acadêmica e quero assinar um Acordo nessa ocasião, como faço?

Você deverá seguir os procedimentos descritos na página da web Como Celebrar Acordos.

 

Preciso assinar um Acordo internacional com urgência, o que devo fazer para agilizar os trâmites?

Mesmo em casos de urgência, deverão ser observados os procedimentos descritos na página da web Como Celebrar Acordos.

O que é possível fazer para agilizar a tramitação do processo contendo o Acordo é: 1) obter aprovação ad referendum da Congregação ou Conselho Deliberativo da unidade; 2) obter aprovação ad referendum do Conselho de Coordenação do respectivo Centro; 3) instruir corretamente o processo contendo o Acordo, para que não haja exigência de retificação.

Lembre-se, no entanto, que a Procuradoria Federal tem prazo de 60 (sessenta) dias para contestar os processos que lhe são enviados.

 

Como posso obter os documentos listados no Formulário Acordos Acadêmicos Internacionais?

Compete à própria unidade acadêmica proponente do Acordo obter os documentos listados nesse Formulário. É recomendável que se obtenha tais documentos junto à contraparte na Instituição Parceira com a qual se está negociando os termos do Acordo e do respectivo Plano de Trabalho.

Lembre-se que é preciso obter os documentos equivalentes aos brasileiros, visto que fora do Brasil não necessariamente há CNPJ, CPF e RG.

Brasil

CNPJ

CPF

RG

União Europeia

VAT

TIN

National Identity Card

Estados Unidos

EIN

SSN

Não há

 

Quem pode assinar um Acordo internacional?

Apenas o dirigente máximo da UFRJ – o Reitor - tem competência para assinar Acordos acadêmicos internacionais, mesmo que sua aplicabilidade seja restrita a uma única unidade acadêmica.

 

Posso obter um passaporte oficial?

A emissão de passaportes oficiais pelo Ministério das Relações Exteriores é regulada pelo Decreto Nº 5.978 de 4 de dezembro de 2006. O referido decreto estabelece que “Art. 8º  O passaporte oficial será concedido [...] aos servidores das autarquias dos governos Federal”. Todavia, “Art. 24.  As condições para a concessão dos passaportes diplomático e oficial e da autorização de retorno ao Brasil serão estabelecidas pelo Ministério das Relações Exteriores”.

Com base em consulta ao MRE, A SGRI apenas expedirá documentos para fins de obtenção de passaporte oficial aos servidores efetivos da UFRJ expressamente DESIGNADOS pelo Reitor para representar a instituição em missão oficial de trabalho no exterior. Excluem-se deste caso viagens com objetivos acadêmicos e de treinamento, a convite ou não de instituições e órgãos internacionais, de docentes ou técnicos, pois nesses casos o pedido de passaporte oficial estaria em contradição com a lei. Os pedidos de passaporte oficial encaminhados pela UFRJ são examinados pelo MRE e podem ou não ser deferidos, conforme atendam ou não aos requisitos legais.

Onde estamos

Diretoria de Relações Internacionais / Gabinete da Reitora - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Av. Pedro Calmon, 550,  2º andar - Cidade Universitária -  Rio de Janeiro - RJ - Brasil - CEP 21941-901

 

UFRJ DRI - Diretoria de Relações Internacionais
Desenvolvido por: TIC/UFRJ